quinta-feira, abril 12, 2018

Como se comportar perante senhoras e senhoritas


Por Monsenhor Tihamer Toth, “Boa educação”, pág. 32 e 33.
Clique aqui e veja o livro em nossa nova loja virtual.


A mentalidade cavalheiresca manifesta-se claramente em nosso modo de proceder para com as senhoras e senhoritas.
Antes de mais nada, é importante não procurar demasiadamente a sociedade feminina antes de terminados os estudos secundários. Quando um rapaz vive continuamente cercado de moças, o desenvolvimento do seu caráter se ressente notavelmente. Torna-se mole, efeminado, sentimental; diminui a sua força viril. Além disso, a companhia demasiado assídua do outro sexo despertaria na mente adolescente uma multidão de pensamentos e imagens desordenadas e supérfluas, precisamente na idade em que o desenvolvimento físico, por muitos anos, o obriga a lutar penosamente pela vitória do espírito contra as exigências ilegítimas dos instintos que acordam.
Entretanto, não quero proibir inteiramente que você busque a sociedade feminina. Recomendo-lhe apenas moderação. No devido tempo e lugar, a companhia de mulheres de alma pura e nobre pode proporcionar grandes vantagens espirituais a um jovem. Curiosa experiência é que, muitas vezes, a mãe de um amigo exerce excelente influência na formação espiritual de um adolescente, suplemento que facilita singularmente a educação dada pela própria mãe.

Sem dúvida, eu gostaria que, na companhia das senhoras e senhoritas, o procedimento de todos os moços respirasse o idealismo cavalheiresco que caracterizava os cavaleiros cristãos da Idade Média. E, embora o espírito leviano do século presente tenha prejudicado tristemente essa nobre mentalidade, tenho firme confiança que você, meu filho, será o guarda fiel da legendária honra e reputação do perfeito cavalheiro. Tenho a firme confiança que, mesmo com tantos exemplos contrários sob os olhos, isso em nada diminuirá em você o nobre respeito à mulher, que fazia o ornamento dos nossos antepassados pagãos, no tempo em que ainda estavam em grau inferior de cultura.
A delicadeza, o tato, a cortesia provindas da alma, – não do simples verniz superficial de etiqueta, – de que damos prova na convivência com as mulheres, bastam para qualificar a nossa educação, nosso caráter, enfim nosso valor moral. Em uma festa, em um baile, em qualquer ocasião, lembre-se fielmente do que agora lhe digo: para com todas as mulheres, um homem bem educado sente e manifesta sempre o respeito que ele mesmo exige dos outros para com a própria mãe e a própria irmã.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...